25 de outubro de 2020
|

Mais de 70 pessoas acompanharam, na quinta-feira (7/2), em Brasília, análises e debates sobre o momento político e as perspectivas para aprovação das reformas propostas pelo governo Bolsonaro, em evento organizado pelo Instituto de Relações Governamentais (IRELGOV).

A influência das redes sociais no Congresso foi outro tema abordado pelos jornalistas Thomas Traumann e Danilo Fariello, da Traumann&Thompson, pelo cientista político Paulo Kramer, com mediação da vice-presidente de relações governamentais da BCW, Anna Paula Losi.

O governo apresenta uma base de apoio consistente. Porém, as novas forças partidárias, deputados e senadores novatos e a forma de negociação do governo, sem o toma-lá-dá-cá, ainda não foram testadas em plenário. O sucesso das reformas está muito atrelado à popularidade de Bolsonaro. Não se sabe quanto tempo essa percepção positiva vai durar, alertou Fariello.

Esse cenário político e a força das redes sociais geram incertezas sobre a tramitação das reformas. A eleição do Senado foi um demonstrativo da influência das redes sociais sobre os políticos. Na semana passada, Renan Calheiros foi tema de 802 mil tuítes e 428 mil posts de Facebook, três vezes mais do que a tragédia de Brumadinho, informou Traumann.

Show Full Content
Close
Close